Monthly Archives: Setembro 2008

Super Rich: The Greed Game (BBC)

Enquanto se aguarda o resultado de injecções de dinheiro que fazem o investimento no LHC parecer uma ninharia, fica aqui o documentário de Robert Peston para a BBC: Super Rich: The Greed Game (transmitido em Abril deste ano na BBC2). Uma boa síntese das causas da crise, desde os esquemas de remuneração que propiciam uma grande apetência pelo risco às trapaças que converteram as dívidas do subprime em pacotes classificados como AAA.

O resto: [2] (levereging, hedge funds) [3] (remuneração dos gestores de fundos) [4] (subprime) [5] (AAA, defaults, credit crunch)  [6] (impunidade dos responsáveis) [7]

Melamina! Melamina! Melamina!

Desde que começou esta história do leite chinês infectado que me tem feito muita confusão o que ouvi nos telejornais… Talvez fosse eu estivesse a ouvir mal, mas não: uma rápida pesquisa confirma:

«O leite líquido de três das principais empresas de lacticínios do país também contém melanina. É esta a substância química que já matou quatro bebés chineses e que fez adoecer mais de 6 mil crianças.» – TVI 19/Set/2008

«Até ao momento, a melanina já levou à morte de quatro bebés, havendo cerca de 53.000 intoxicados na China, 13.000 dos quais hospitalizados, 104 deles em estado grave e outros 40.000 sob vigilância médica. » – SIC 25/Set/2008

Basta pesquisar por ‘melanina’ em sites de notícias em português, castelhano e afins para ver quanta gente escreve de ouvido sem confirmar. É melamina e não melanina, ok? A primeira é a tal substância tóxica e a segunda é o que dá o bronze. A não ser que o ku klux klan ande a fazer das suas, a melanina não costuma levar à morte de ninguém…

Índice de Percepção de Corrupção 2008

A versão de 2008 do Índice de Percepção da Corrupção da Transparency International está aí. A pontuação final, resultado da agregação várias pesquisas conduzidas este ano, vai de zero (o nível de corrupção mais alto) a 10 (sem corrupção aparente).

Os exemplos a seguir continuam a ser Dinamarca, Nova Zelândia, Suécia (9,3) e Singapura (9,2). A Finlândia, que ocupava a primeira posição o ano passado, desceu de 9,4 para 9,0 devido a alguma falta de transparência no financiamento de campanhas eleitorais. Nos últimos também não há surpresas: Somália (1,0), Birmânia (1,3) e Iraque (1,3) continuam entalados no fundo da tabela.

Portugal, que ocupava o ano passado a 28ª posição (17ª na Europa) com 6,5, desceu para a 32ª posição (19ª na Europa) com 6,1. Há um parágrafo dedicado ao país no relatório regional:

«Investigations of corruption involving prominent sports figures captured public attention in Portugal during 2008. The country, with a CPI score of 6.1 in 2008 down from 6.5 in 2007, also had its first-ever successful investigation of an illicit campaign donation. Extensive public discussions of proposals for a new approach to anti-corruption along with a failed plan, dominated public discussions in Portugal and may have affected perceptions.»

A verdade é que a situação parece longe de melhorar. De resto a UE foi marcada por várias descidas, incluindo Reino Unido, França, Alemanha e Noruega. Suspeitos do costume como Itália (4,8) e Grécia (4,7) mantêm-se abaixo de Portugal com valores preocupantemente baixos para países ocidentais. Na cauda da Europa vários escândalos permitiram à Bulgária (3,6) destronar a Roménia (3,8).

Pouca esperança parece haver para a Rússia, que atingiu o nível mais baixo dos últimos 8 anos: 2,1 e uma infame 147ª posição com Quénia e Síria.  120 mil milhões de dólares, um terço do orçamento, desaparecem anualmente dos cofres do rufia da Eurásia.

O panorama global não é agradável:

« “Nos países pobres, os níveis de corrupção podem ser a linha divisória entre a vida e a morte, quando dinheiro para hospitais ou água potável está em questão” disse Huguette Labelle, que preside a Transparency International. “Os aumentos contínuos nos níveis de corrupção e pobreza, que assombram muitas das sociedades do mundo, caminham para um desastre humanitário e não podem ser tolerados. Porém, até mesmo nos países mais privilegiados, onde as sanções são aplicadas de forma perturbadoramente desiguais, o combate à corrupção precisa ser enrijecido.” » [ref]

Quanto aos países subdesenvolvidos, Labelle acrescentou ainda que o programa de água e saneamento básico das Nações Unidas poderá ser encarecido em 50 mil milhões de dólares devido à corrupção. Angola e Guiné-Bissau continuam a ser os países lusófonos mais baixos, descendo de 2,2 para 1,9 e confirmando o que continuo a ouvir sobre o estado do país liderado pela corja de José Eduardo dos Santos.

O bcp e as pessoas felizes ao pequeno almoço

Os posts com um mínimo de interesse podem esperar, que agora é altura para uma colectânea de felicidade eterna de quem comprou casa pelo bcp (ando a ver se encontro mais países, por enquanto Portugal, Polónia e Grécia). Por alguma razão as minhas segundas-feiras não são assim… Raio da publicidade, preciso duma casa nova.

Actualização sobre fenómenos sobrenaturais

[Já há muito tempo que não faço nada por aqui, por várias razões. Desde a falta de vontade ao constrangimentos temporais de ter de trabalhar como toda a gente, passando por não gostar de metade do que aqui escrevi. Muita coisa aconteceu entretanto, desde casos de corrupção, a morte de George Carlin, uma escaramuça Geórgia-Russa, uma crise financeira à maneira, o grande colisor (é assim que se diz?) de hadrões… e também um Berlusconi a tapar mamas por ser obsceno, um Alberto João a queixar-se dos lóbis na política, católicos que se acham uma minoria oprimida e perseguida na Europa e mais bulldada do género.]

Por enquanto, fica uma actualização sobre os fenómenos sobrenaturais:

continuem a mandar postais…