Gostava de também acreditar em Passos Coelho (e em fadas e duendes…)

Há já algum tempo que me tornei incapaz de reeleger Sócrates. E bem que me tentei mentalizar para votar em Passos Coelho. Mas com o avançar do tempo cada vez se tornou mais óbvio que não o conseguiria fazer; e tenho dificuldades em perceber quem ainda é capaz de se entusiasmar com ele.

Bom gestor, mau político?

«(…) Sim, ele tem defeitos. É ineficaz na comunicação (quantos portugueses entenderam a sua utilização da palavra “utilities”, por exemplo?). Pessoalmente, acho-o um mau político. É mau a mentir, é mau a manipular, é mau a construir uma imagem sem substância. É mau a vender a sua experiência como gestor de empresas e tenta apresentar soluções complexas que aderem à realidade em vez de se limitar a repetir até à exaustão promessas lindas e vagas. Nesse sentido, eu penso que o Passos Coelho é um péssimo político até. No entanto, ainda não incumpriu uma única promessa, tem experiência do mundo fora da política e é um economista. (…)» – Rui Craveiro

Tenho a maior consideração por quem escreveu estas linhas. É uma pessoa ponderada e inteligente, e um dos modelos na minha vida profissional. Mas ou sabe algo que eu não sei ou cede ao wishful thinking.

O Não-Tão-Bom Gestor

Vamos então espreitar o fabuloso currículo de Passos Coelho no site que lhe deveria ser mais elogioso:

«(…)Em 1974, regressou para a terra dos seus avós, Valnogueiras, no concelho de Vila Real. Actualmente reside em Lisboa, é casado e tem três filhas.

É licenciado em Economia, pela Universidade Lusíada de Lisboa. Começou a trabalhar como professor do Ensino Secundário, acabando por se dedicar ao sector empresarial, sobretudo na área do Ambiente. Ingressou em 2004 no grupo Fomentinvest, como director financeiro, sendo desde 2007, administrador executivo. (…)» – Passos Coelho: Mudar

É estranho este salto de 30 anos numa biografia, mas quando se tenta passar a imagem de Passos Coelho como alguém com um background empresarial é a única forma de o fazer. Já não é novidade que só ingressou no curso de Economia da Lusíada já trintão, e que a Fomentinvest, grupo de Ângelo Correia, decidiu apostar desinterassadamente neste recém-licenciado para dirigir algumas empresas do grupo. Antes disso o que temos é essencialmente o típico percurso de apparatchik lusitano, entrando para a JSD aos 14 anos e fazendo carreira a partir daí. (ver currículo completo)

Empresas de gestão de resíduos com contratos de 10 anos firmados com autarquias… Não se pode dizer que houvesse muito a gerir, o que poderia correr mal? Bem, talvez isto:

«A 12 de Fevereiro de 2008 foi realizado um controlo das águas residuais, no ponto de descarga da linha de água afluente à Ribeira das Lamas. A inspecção deu conta de níveis muito superiores de sulfitos e sulfuretos, compostos de enxofre. A situação estaria fora da lei, e foi condenada pela Inspecção-Geral do Ambiente.

“Não se encontravam a ser cumpridos dois parâmetros relativos aos limites de emissão, sendo que, apesar de o valor limite para ambos [sulfitos e sulfuretos] ser de 1,0 mg/l, só é contra-ordenação quando ultrapassam 2,0 mg/l, o que largamente sucedeu no presente caso”, pode ler-se no acórdão do Tribunal Judicial da Golegã, a que o i teve acesso. A concentração de sulfitos obtida durante a inspecção foi de 34 mg/l SO3 e quanto aos sulfuretos foi obtida uma concentração de 27 mg/l. A empresa foi condenada, a 26 de Novembro de 2009, a pagar uma coima de 60 mil euros por contra-ordenação muito grave, tendo ficado ainda no processo que a Ribtejo agiu por negligência e não por dolo.» (ionline)

Exceder em 34x o limite legal de sulfitos é obra. Fico feliz por o tribunal ter considerado ser incompetência e não malícia. Não fico feliz é pelo futuro do país. Pelo menos há um ponto no programa de governo do PSD que fica claro: «Autonomização do subsector dos resíduos no seio do Grupo Águas de Portugal e implementação das medidas necessárias à sua abertura ao sector privado.» Ao menos sabemos para onde vai.

O Não-Tão-Mau Político

Enquanto político tem demonstrado uma desfaçatez promissora tendo em conta que ainda nem sequer subiu ao poder. Gostei particularmente da forma como justificou o seu chumbo ao PEC4 que precipitou a tão esperada queda do governo:

«A austeridade não deverá afectar o rendimento real disponível dos grupos mais desfavorecidos da nossa sociedade (nomeadamente pensionistas) ao contrário do previsto no PEC4.» (Programa PSD)

E no entanto não teve qualquer problema a assinar o memorando com a tríade. Descubram-se as brutais diferenças neste ponto entre o PEC4:

«Aumentar as pensões mais baixas em 2012, abandonando a aplicação da regra automática de indexação à inflação e ao IAS (Indexante aos Apoios Sociais). Será aplicado um corte das pensões acima dos 1500 euros, através da aplicação da Contribuição Extraordinária de Solidariedade» (Sol)

E o memorando:

«1.11 – Reduzir as pensões acima de 1500€ de acordo com a progressão aplicada aos salários do sector público em Janeiro de 2011 com o objectivo de conseguir poupanças de pelo menos 445ME;
1.12 – Suspender a aplicação de indexação de pensões e congelar as pensões, excepto para as
pensões mais baixas, em 2012;»

Em que é que o primeiro é mais penalizador para os pensionistas que o segundo? Não sei. Outro ponto implícito (mas claro) no programa do PSD é o aumento do IVA, onde também deu mostras de poder vir a estar à altura do seu antecessor no governo.

O Programa “muito técnico”

Se o programa do PS é justamente criticado por ser vago, estranho muito que a mesma crítica não seja dirigida ao programa do PSD. Os partidos do centro, que contam com a experiência acumulada de quem tem formado governos, têm obrigações acrescidas na criação de um programa. Particularmente o PSD, que já sabia que este mandato de Sócrates seria o último e talvez não chegasse ao fim. Estranhei ainda mais ver hoje Passos Coelho a dizer que “não há nada que ainda vai ser estudado”, que já têm tudo planeado. Eu era capaz de jurar que a compensação para a descida da TSU está definida no programa como «a estudar no âmbito do OE/2012». OK, neste caso o resto do programa não se esforça por esconder que será o aumento do IVA.

Gostava que revelassem o resto desses planos, porque perdi a conta da quantidade de referências a coisas que se vai racionalizar, melhorar, aperfeiçoar, dinamizar, apoiar, promover, apostar na promoção, aumentar a eficiência e propiciar o desenvolvimento sem explicar como. O primeiro programa de Sócrates era maravilhoso, também ia emagrecer o Estado e lançar a economia… o diabo está nos detalhes!

Veja-se isto:

«Promover a definição ou desenvolvimento das linhas mestras da estratégia de diferenciação e desenvolvimento dos sectores transaccionais tradicionais, no sentido de reforçar o valor acrescentado nacional (subida na cadeia de valor) e a competitividade externa na penetração nos mercados com elevado potencial de crescimento, além da execução de programas específicos para as empresas com potencial de crescimento; o desenvolvimento da penetração nos mercados internacionais em rede (cooperação entre empresas complementares); execução de programas específicos para as empresas com potencial de crescimento.» (Programa PSD)

Na prática traduz-se em quê? Não há nada de concreto, só boas intenções e no meio de tanta vacuidade até se repete. Como podem esperar que por exemplo alguém vote a favor de «tributação baseada em indicadores técnico-científicos por sector de actividade» sem ser minimamente explicado que indicadores são esses e como influenciam a tributação? Como funciona essa «utilização de incentivos à capitalização e auto-investimento das empresas orientadas para a exportação e para o investimento produtivo que substitua importações e crie emprego duradouro»? Que incentivos? Toda a gente quer mais investimento e emprego! Mas como?

…mas com espaço para deal breakers

Infelizmente há pontos em que o programa é suficientemente explícito para ser obsceno, como é o caso do IRS:

«Revisão do imposto, visando a simplificação do mesmo, com redução do número de escalões no médio/longo prazo, optimização dos benefícios e deduções, aproximação da tributação entre as várias categorias de rendimentos (…)» (Programa PSD)

Já temos um número baixo de escalões, que tributa da mesma forma quem ganha alguns milhares e quem ganha centenas de milhar de euros. Isto a que se propõem só tem três interpretações possíveis: a ou baixar os impostos nos escalões superiores, ou aumentá-los nos mais baixos, ou ambos!
E será que os que creem que este governo vai ser diferente dos anteriores repararam nisto:

«Promover 2-3 “mega projectos” empresariais de escala internacional em áreas de desenvolvimento prioritário (ex, Turismo Residencial) » (Programa PSD)

Os sobreiros que se cuidem, vêm aí os PINs…

Por alguma razão já desde Marques Mendes que o PSD não consegue ter algo que se assemelhe um líder decente. Se o PS foi sequestrado por Sócrates, no PSD os marionetistas gostam de ficar na sombra. Graças a Sócrates vão herdar o governo pelo descontentamento contra o governo anterior e não pelo que apresentam, tal como Sócrates antes tinha feito face a Santana. Eu estou farto de pactuar com esta alternância imbecil e auto-destrutiva, e que se lixe se há alternativas ou não. Este ano não há “voto útil” para ninguém.

One response to “Gostava de também acreditar em Passos Coelho (e em fadas e duendes…)

  1. Sou socialista e sempre fui um grande opositor ás políticas de José Sócrates, no entanto quando percebi que o PSD tinha uma agenda ultra radical, tentando por em causa o Estado Social, tive de engolir um sapo e votei Sócrates.
    Passos Coelho irá vender todo o nosso património aos investidores, daqui a uns tempos vêm dizer que o Sócrates era melhor. O analfabetismo português no seu melhor. Enfim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s